Ganhadores de loterias “deixam” de retirar R$ 300 milhões em prêmios por ano no Brasil.

Parece até piada, mas é uma realidade no Brasil, enquanto milhares de brasileiros sonham em ganhar uma bolada em qualquer uma das loterias no país, existem pessoas que tiveram a sorte mas não retiraram os seus prêmios na Caixa Econômica Federal, responsável pelas loterias no Brasil.

A Caixa informou que apesar dessa situação parecer improvável, é comum apostadores premiados deixarem para trás os seus prêmios, às vezes por esquecimento ou por outros motivos. Somente em 2020, R$ 311,9 milhões em prêmios não foram resgatados.

Os valores levam em conta todas as modalidades e faixas de premiação que não foram retiradas no prazo. Por lei, o apostador que ganhar na loteria tem até 90 dias após o sorteio para fazer a retirada dos valores. É preciso apresentar comprovante de que a aposta pertence a ele, além de documento de identificação, como o CPF.

O caso mais recente que chamou a atenção no Brasil, aconteceu na semana passada, é o do ganhador do prêmio da Mega-Sena da Virada. Morador da capital paulista, o sortudo ou a sortuda levou uma bolada de R$ 162,6 milhões, mas, por algum motivo, não compareceu e perdeu o prêmio na última quarta-feira (31).

Nos últimos cinco anos, porém, o recorde de dinheiro deixado para trás foi em 2017, com um valor bem maior, bem maior, R$ 326 milhões. Na maioria das vezes, esse montante decorre da soma de prêmios de pequeno valor que não são reclamados pelos ganhadores, diz a Caixa.

Os valores dos prêmios de todos os concursos das loterias (Mega-Sena, Lotofácil, Quina, Lotomania, Timemania, Dupla Sena, Loteca, Lotogol e Federal) não resgatados pelos ganhadores após a data-limite são integralmente repassados ao Fies (Fundo de Financiamento ao Ensino Superior), que financia a educação.

Redação: Jornal ATV – A Tribuna do Vale o seu portal de notícias online.