Redes Estaduais e municipais retornam às aulas a partir do dia 03 de fevereiro.

Espírito Santo – Os governos estadual e municipais entraram em acordo para reabrir gradualmente as escolas e retornar às aulas a partir de 3 de fevereiro. A meta é que até o dia primeiro de março a rede pública de ensino esteja em pleno funcionamento e disponível em todo o Espírito Santo.

Já as escolas particulares do Estado as aulas voltarão no dia 1º de fevereiro e ocorrerão de forma presencial nos municípios capixabas classificados nos riscos baixo e moderado para a covid-19, conforme autorizado pelo governo do Estado. O secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, gestores municipais de Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra e Viana, o presidente da União dos Dirigentes Municipais do Espírito Santo (Undime-ES), Vilmar Brito deram a informação em uma coletiva à imprensa na manhã de ontem (28).

De Angelo lembrou que cada município terá autonomia na escolha do esquema a ser adotado no retorno das atividades pedagógicas: se totalmente presencial ou em sistema híbrido (presencial e remoto) ou totalmente remoto. Caso adote o sistema híbrido, as prefeituras terão que elaborar planos de revezamento dos alunos nas escolas. “O mapa de risco, feito pela Secretaria Municipal de Saúde, irá definir este processo e continuará sendo válido neste retorno. Caso o município entre na classificação vermelha, ou seja, risco alto, as escolas ficarão fechadas”, apontou. 

O retorno da educação infantil também foi lembrado. Na pesquisa da Amunes, apenas 20 municípios garantiram a reabertura das creches. Grande parte, porém, ainda não tem definição de qual sistema será escolhido para lidar com as crianças menores. Na avaliação da Undime, isso acontece porque os municípios podem estar passando por dificuldades em adquirir insumos específicos para esses espaços. 

Vacinação de professores

Em relação à vacinação dos professores, o Estado tenta antecipar a imunização para os profissionais da Educação. O secretário lembrou que, pelas diretrizes do Ministério da Saúde, professores são o quarto grupo a ser atendido dentro do público prioritário. Assim, eles serão os últimos.

“Não temos uma data específica ainda para vacinar os professores. Temos apenas a fase dentro do grupo de prioridades. Estamos acompanhando a luta, mas a data não temos ainda”, declarou. Ele acrescentou que professores, funcionários e alunos com comorbidades não devem ficar totalmente afastados das atividades escolares. “O recomendado é que façam atividades remotas. De qualquer maneira, o profissional estará na linha ativa do trabalho”, finalizou. 

Redação: Jornal ATV – A Tribuna do Vale o seu portal de notícias online.